domingo, 10 de maio de 2009

Mães

Não sou afeito a mensagens melosas em datas comemorativas, contudo a verossimilhança do texto que segue, de autoria desconhecida (provavelmente de integrante da PMERJ), enviada via e-mail por um colaborador praça da PMBA, torna-a merecedora de transcrição.

Mãe de policial sofre. Sofre desde antes do filho se tornar um, porque nenhuma delas quer ouvir o filho, depois de grandinho, dizendo que vaiser policial. Não é assim em todos os países, e não arrisco falar detodos os estados fora do Rio. Mas posso afirmar que no Rio de Janeiro as mães não gostam que seus bebês entrem para a Polícia.
Mãe de policial sofre durante o curso de formação do filho. Ao ver seu menino de cabeça raspada, mais magro que o habitual e com aparência de cansaço, após as longas sessões de tortura a que é submetido, fica se perguntando "o que estão fazendo com meu menino?". E não entende porque ele continua com aquela loucura.
Claro que na formatura dá orgulho. Aquela cerimônia bonita, discursos bonitos, uniformes bonitos, e o filho então, é o mais bonito de todos. Mas a mãe sofre quando o filho é destacado para uma unidade onde a área é perigosa. E ora todos os dias para Deus protegê-lo, e, se for da vontade Dele, que seu filhinho seja escalado somente em serviços internos.
Mãe de policial sofre porque não sabe se o filho vai voltar para casa após o serviço. Por isso faz aquele monte de recomendações redundantes, tipo esconder bem a farda e não carregar a identidade funcional na carteira. E pede pelo amor de Deus, para ele parar de andar armado.
Depois que a mãe deixa de ser simplesmente mãe, e vira mãe-de-policial, se torna defensora ferrenha dos policiais. Porque mãe de policial sofre quando falam mal da Polícia perto dela. Sai em defesa dos policiais, mas só diz que tem filho policial em último caso. Sabe que é perigoso, quanto menos gente souber, melhor para a segurança dele.
A mãe de policial deve ser das mães mais xingadas, ficando atrás apenas das mães dos árbitros de futebol e dos políticos. As mães de policiais não merecem isso, mas o sofrimento delas é inevitável.
Feliz dia das mães, policiais ou não.
Créditos da imagem: ST PM Hamilton

3 comentários:

Flávio Henrique disse...

O autor desse texto foi o tenente Alexandre da PMERJ. Ele o publicou em seu blog no ano passado. Segundo ele, foi um daqueles dias "inspirados".

http://www.diariodeumpm.net/2008/05/11/mae-de-policial-sofre/

Dafnis dos Santos disse...

Eita tu ta mais viciado no diário do que e ein??

Victor disse...

Obrigado por informar a fonte, ma do que merecedora a menção ao nobre oficial autor da mensagem

 
BlogBlogs.Com.Br

'Digite seu e-mail:'

Fornecido por FeedBurner