quarta-feira, 6 de maio de 2009

Matriarca

Certos absurdos insuflam fúria desmedida em quem veste a camisa da PM, ainda que haja aqueles que pouco se importam em ver tantos ataques estúpidos e desavergonhados partindo da imprensa contra a corporação e seus homens, indistintamente. Sim, essas são palavras fortes, e só um controle emocional ponderado faz evitar o rebaixamento ao nível de apelar a ofensas a matriarcas de gerações antepassadas ao de quem escreve tolices insolentes como a vista em A Tarde hoje, em um canto da capa, onde se publicou a manchete "Polícia executa 12º suspeito em quatro dias". Será possível que ninguém se sente vilipendiado com isso? O alto escalão, o Ministério Público, o Governo, seja lá que autoridade for? A reportagem relacionada é mais uma que faz menção equivocada sobre autos de resistência, como se fossem contadores de extermínio. Aparenta predominar a plena ignorância jurídica em muita gente que escreve sobre o assunto, sem saber que tal auto é utilizado quando se há resistência, e não necessariamente resultado morte - a recusa de um indivíduo a ser conduzido, provocando reação com consequência de arranhão a um policial por exemplo, motiva e justifica a lavratura de um auto de resistência. Pensam os infelizes incautos que policiais cometem crime de homicídio ao trocar tiros com marginais que vêm a falecer, sem considerar que não há antijuridicidade quando excludentes de ilicitude respaldam a ação de legítima defesa própria ou de outrem, estrito cumprimento do dever legal, estado de necessidade... É lamentável que seja consentida a perpetuação de tamanha estupidez abertamente, sem qualquer controle, cobrança, esclarecimento nem satisfações a prestar. Fere-se a honra, reputação, moral de pessoas e instituições com denunciações caluniosas, talvez até falsas comunicações de crimes, sem que seja tomada qualquer providência. Grande favor fariam esses jornalistas se subsidiassem o trabalho da Corregedoria e do MP reunindo os elementos necessários à propositura da ação penal em busca de fomentar inquéritos, processos e posteriores condenações para eliminar maus policiais, porque esbravejar estupidamente sem coletar provas, a troco de maior vendagem de jornais, é amadorismo, falta de compromisso, seriedade, caráter, profissionalismo e, principalmente, ética.

4 comentários:

Atuação PM disse...

É de deixar qualquer polícia que se respeite enfurecido essas materias que esse Jornal coloca.

P. A. Lauro de Freitas disse...

infelizmente se nós não nos posicionarmos contra isso e bater de frente com essa maldita imprensa brasileira tudo irá continuar assim...policiais sendo taxado sempre como grupo de extermínio fardado.

Kleber disse...

É engraçado a inversão de valores que esses maconheiros tem. Grande parte dos ipocritas que escreve essas coisas são usuários de intorpecentes. Quando o traficante que fornece a por... da droga pra ele morre em confronto com a polícia, eles se sentem atingidos.(Essa é minha tese). Bando de maconheiro filho da pu...

Anônimo disse...

Se o Comandante Geral só pensa em seu DAS, diárias e demais vantagens, o que um pobre, invisível e ingnificante sargento, pode dizer ou fazer. Quero a minha reserva pelo Amor de DEUS!!!

 
BlogBlogs.Com.Br

'Digite seu e-mail:'

Fornecido por FeedBurner