quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Falta

Pobre cotribuinte soteropolitano, que sustenta serviços onde a população não é atendida. Exemplo disso é a denúncia na manchete de A Tarde hoje, dando conta da inoperância de centenas de guardas municipais em virtude da falta de uniformes. Será que alguém será responsabilizado por esse desperdício sem tamanho? As consequências todos sabem quem sofre, há poucos instantes presenciei um furto praticado por 2 adolescentes na ladeira ao lado da Fonte Nova, e o clamor popular do "pega ladrão" não surtiu efeito, não havia segurança, nem guarda municipal, nem PM no local onde sabidamente transitam pessoas como aquela mulher, que se deslocava para seu o trabalho pouco antes das 6h, e foi vítima de marginais que subtraem para consumir drogas em local, horário e com procedimentos que não são novidades.

9 comentários:

guto08 disse...

O aumento dos impostos defendido por João deve ser pra comprar o fardamento.

Victor disse...

Também fiz o link imediato da proposta dos 150% de aumento no IPTU com a compra dos uniformes, mas preferi deixar de lado a "piada", hehehe...

Anônimo disse...

Não falta só farda na GMS,falta tudo: comando ,sede, estrutura,equipamento,capacitação e etc.
Cadê o compromisso do prefeito com a populaçao de Salvador.
E ele poderia no ensejo, mudar essa farda camuflada,nós já sabemos que o objetivo foi alcançado,a sua reeleição,portanto que as fardas sejam iguais as das outrs GMs do país ,João.
E não vai adiantar ter farda se não tiver condições de trabalhar,cader os recursos do PRONASCI,pra equipar a GMS,prefeito?
Ou LULA vai ter que perguntar tambem se tá faltando dinheiro,João??

cirillo disse...

êta situação braba ainda prefiro meu trabalho na area de segurança publíca estadual não é lá as sete maravilhas mais prefiro.

Anônimo disse...

E quem disse que GM é para combater roubo a transeuntes em vias públicas? Isso é missão da PM (art. 144 CF)

Victor disse...

Primeiro que não há violência nem grave ameaça, logo inexiste o roubo, mas sim um furto. Não foi dito que é missão da GM, inclusive é citado que fez igual falta a PM no momento. Contudo, é inegável que a ostensividade de uma dupla de GMs inibiria delitos desta natureza, tendo inclusive plenas condições de cumprir o dever em reprimir a conduta descrita no caso concreto; ou a formação passada estabelece que, diante da situação apresentada, os guardas se mantenham inertes?
A Guarda não é polícia, todos sabem, a ela não cabe intervir em rebelião de presídio, nem progredir em favela, reprimir roubo a banco ou crimes desta natureza, sobretudo por não dispor de meios adequados.

Anônimo disse...

E você, policial, o que fez? Foi para casa rapidamente, escrever?Paciênci...

Victor disse...

Já esperava alguma resposta revanchista, mas tenho razões a apresentar, principalmente em relação ao princípio da superioridade numérica, já que um homem isolado, fora de serviço e sem expectativa de apoio, partir para uma ação reprimindo 2 meliantes sem dispor de nenhum recurso extra é nítida imprudência. A localização e a distância também não permitiam, salvo se cruzasse parte do dique a nado. Enfim, quem não estava lá, não precisa se sentir ofendido com a queixa, talvez tenha evitado um crime em outro lugar.

Anônimo disse...

Guarda Municipal, segundo a constituição e atribuições contidas na Secretaria de Administração municipal restringe-se a guarda e zelo do patrimônio municipal, leia-se parques, jardins, escolas, museus e instalações do município. Fora isso, é essa coisa mal feita pelo Sr. Prefeito, criando e insistindo com essa "polícia" de choque fardada. Viraram agentes de segurança das blitz da famigerada SET. Olhem que absurdo. Até acontecer uma tragédia.

 
BlogBlogs.Com.Br

'Digite seu e-mail:'

Fornecido por FeedBurner