sábado, 24 de janeiro de 2009

Pituaçu

O jogo Bahia x Ipitanga, que ocorrerá amanhã no Estadio de Pituaçu, promete ser uma grande festa, tendo em vista a expectativa criada desde a tragédia na Fonte Nova, voltando o clube a ter mando de campo na capital. O público estimado em 20 mil pagantes, aliado a tantos outros que permanecem nos arredores do estádio, aguardou com ansiedade essa festa, adiada por diversas vezes, ameaçada por embargos e entraves judiciais, mas que finalmente vai ocorrer. Realmente gostaria de poder atuar na partida, acompanhando de perto o evento especial diferenciado que ocorrerá, contudo não é possível por motivos alheios à minha vontade. Agora pela manhã o sr Cel PM Carlos Eleutério, do CPC, anunciou em entrevista ao vivo na TV Bahia que estarão envolvidos mais de 700 policiais militares, compondo 63 patrulhas, 25 guarnições, com a inovação de que centenas destes estarão com camisas brancas, uniforme diferenciado, atuando como facilitadores, prestando informações, algo inovador em partidas, ainda não conhecido pela população. Estarão presentes a Rondesp, BPChq, GRAER, EsqdMclÁguia, EsqdPMont e CIPMs da área.

. . .

Uma novidade muito positiva é a a delegacia informatizada para registro de ocorrência que irá funcionar dentro do Estádio de Pituaçu na partida inaugural, algo que sempre fez falta nas demais praças esportivas, com 2 delegados, 6 agentes, 1 escrivão e carro-presídio, para o transporte dos presos. Na sala, 3 computadores estarão conectados ao Serviço de Atendimento Policial (SAP), para registrar queixas de delitos cometidos dentro e nos arredores do estádio. Tomara que dê certo e permaneça em todas as rodadas, conforme está sendo avaliada a possibilidade, facilitando extremamente o trabalho da PM e a segurança do torcedor.

. . .

O planejamento da segurança é realizado por oficiais superiores, em escalão bem acima ao que hoje ocupo; se fosse possível, sugeriria o estabelecimento da meta de reeducar o comportamento do torcedor baiano, não há melhor oportunidade do que na "inauguração" de um novo estádio, tentando banir definitivamente maus hábitos e comportamentos indevidos que se tornaram tradição na Fonte Nova, como ocupar as escadas como se arquibancadas fossem, dificultando o fluxo de pessoas, além impedir insistentemente que urinem fora dos banheiros, prejudicando a higiene e estrutura do local. A teoria das janelas quebradas abarca situações como esta, onde a repressão a pequenos delitos e manutenção constante estabelece um ambiente que desestimula o cometimento de crimes ou a prática de vandalismo. Repetir a permissividade diante dessas condutas seria uma falha, grande oportunidade desperdiçada.

Um comentário:

Na Moita disse...

Entao, a sociedade nao se preocupa em se educar e fazer com que as instalações esportivas sejam um lugar de lazer e entretenimento, o estado nao se preocupa em investir em educação, entao o mesmo Estado usa o seu braço forte que a policia, quando deveria agir preventivamente e por fim a mesma sociedade julga os policiais pelas atitudes de alguns torcedores trogloditas, querem um bouquet de flores quando estiverem se degladiando ?

 
BlogBlogs.Com.Br

'Digite seu e-mail:'

Fornecido por FeedBurner