quinta-feira, 5 de março de 2009

Big Bang

Não há como tapar o sol com a peneira, fugir dos problemas só os torna maiores. Desconversar sobre o que é óbvio e evidente é tarefa para dissimulados, talento que nem todos têm. O que aconteceu está aí, todos os telejornais, rádios e sites noticiaram, certamente amanhã será a capa dos jornais impressos. A perplexidade, o choque, o baque, espanto, surpresa, sentimento de "Eu não acredito" ou até de "Eu já sabia" se espalha pelos quatro cantos. Hoje é um dia ruim, é preciso dar o braço a torcer, mesmo sem querer. Hora de aceitar algumas críticas ao militarismo (doutrina a que sou afeito), não por ela ter algum vínculo direto com irregularidades, mas por ser alvo de eternas reclamações quando à sua eficiência em ser implacável na repressão a falhas como um pequeno atraso, cabelo mal cortado, barba por fazer, continência falha e outras questões disciplinares que não deixam de ser importantes, mas tornam-se minúsculas diante de certos comportamentos. Os erros não deixam de ser erros, mas aquela "miação" do policial na rodovia ficou nanica ao lado do escândalo apresentado, e ainda que a Constituição assegure indistintamente a presunção de inocência antes da condenação irrecorrível, não há como crer que tantos meses de investigação, culminando inclusive no flagrante do recebimento de milhares de reais, seja resultado de algum equívoco sem alicerce. A ambição humana não tem limites, quem mais tem é quem mais quer acumular, seja pelo meio que for. O Diário Oficial do Estado publica para quem quiser ver qual o valor dos ganhos de quem ocupa o maior posto, o soldo é mais de 700, a GAP mais de 5 mil, o símbolo DAS-1, mais de 8 mil, e por aí vai (muito além). Nossa continência é impessoal, visa a autoridade, mas por certo alguns agonizam por terem participado de exaustivas cerimônias ao culto de semideuses análogos ao que a história mostrou como santo de pau oco. Todas aquelas honras, desfiles, condecorações e medalhas tornam-se farelo e pó. São culturas e tradições nossas, desvinculadas às condutas ilícitas, as quais infelizmente são características de muitos brasileiros, vide o envolvimento de várias outras pessoas no fato, inclusive um procurador. Quem não deve, não teme. Parabéns aos executores da operação.
Mas é preciso manter a luz da razão acesa e lutar com toda força pela desvinculação da pessoa à instituição, separando a farda do homem, afinal se todos ou a maioria fossem maus, já estaríamos acabados há muito tempo. Ainda há muita gente boa, de cima a baixo, preocupada em trabalhar de verdade e manter os acertos acumulados em 184 anos. Os homens passam e a instituição permanece, o bom trabalho da maioria deve continuar no próximo alvorecer, é preciso acreditar em um ideal maior. (1, 2, 3, 4, 5, 6...)

5 comentários:

Anônimo disse...

Agora entendi porque não tem dinheiro para comprar coletes, munição e os demais equipamentos indispensáveis para o bom desempenho da função...

Anônimo disse...

E eu que pensava que só PRAÇA passava a mão nas coisas. rsrsrsrsrsrsr
TEM ESTRELA NO BARCO.

Na Moita disse...

Agora sei porque meu soldo é R$470,03; GAP R$1.182,84; Fardamento R$47,00; Aux. Alimentação R$154,00.

Anônimo disse...

Sou leitor assidúo do blog e esta È a pimeira vez que posto um comentário. Queria expressar aqui minha indignação, pois, sou SD PM e tenho ouvido muitas criticas à briosa depois desse episódio. Porém meu intuito aqui, é também parabenizar o AL OF Victor Fonseca por ter criado esse meio de comunicação acessado por inúmeros milicianos e dizer que suas postagens são muito pertinentes e imparciais.

Victor disse...

Compreensível a indignação de cada um, a nenhum de nós agrada, lato sensu, o que tem acontecido.
E ao último Anônimo, agradeço o apoio manifestado, a casa também é sua, esteja sempre à vontade para participar da discussão aqui, nos limites da nossa disciplina. Seu comentário é muito bem-vindo.

 
BlogBlogs.Com.Br

'Digite seu e-mail:'

Fornecido por FeedBurner