domingo, 8 de março de 2009

Problemas

O atual quadro que se apresenta à sociedade envolvendo a segurança pública na Bahia expõe diversos problemas para os quais é preciso buscar solução. Isso se depreende da leitura de jornais, análise de discussões no Orkut, e todas as formas de difusão de informação, chegando a constatações como:
- Existem policiais civis e militares querendo disputar vaidades diante do ocorrido, com isso perdem as duas instituições, e mais ainda o cidadão, que não tem a ver diretamente com a situação. Melhor seria cada um se ocupar em resolver seus problemas, como a queixa da população sobre a falta de delegados em certas cidades, elevando a criminalidade, ou ainda as carências na formação de oficiais e praças, com precariedade de estruturas e apoio para uma instrução de nível. Semestres inteiros sem instrução de tiro nas unidades-escola, longas horas para atendimento em delegacia, é preciso diagnosticar as causas e remédios para esses problemas, uma vez que as consequências já são suficientemente conhecidas.
- Se a investigação se mantiver séria e imparcial, muita coisa ainda pode ser descoberta. Em pouco tempo, já surgiram novos nomes de militares e civis supostamente envolvidos na ilegalidade, alcançando inclusive a esfera municipal e já chegando a nomes de políticos. É disso que precisamos, seriedade e transparência, doa em quem doer, sem dar margem a rivalidades vãs ou favorecimentos particulares.
- Acusa-se que já havia planos para novas fraudes em 2010 envolvendo boinas e algemas made in China, algemas aliás que provocaram discórdia pelo fato de terem sido empregadas em um dos presos de maior vulto, que teria sido insistentemente obrigado a chamar o delegado de senhor durante a prisão, o que gerou insatisfação na alta cúpula miliciana, alegando intenções premeditadamente humilhantes na ação, conforme divulgou A Tarde. Lembremos da súmula que trata do assunto, sem esquecer a magnitude do crime supostamente cometido.
- Por compor um imbróglio logístico na corporação, o drama abriu espaço para especulações diversas sobre as constantes mudança de nome de unidades, tipos de fardamento, cores de viaturas e demais ações dessa natureza. Se há suspeita, que seja investigada exaustivamente até que se chegue a uma constatação precisa, sem restar dúvidas.
- A justiça tarda e surge a falha, essa máxima trabalhada em um texto sobre a atuação operacional acabou sendo válida na esfera administrativa, o que poderia ser contornado com uma celeridade no que é mais importante nesses casos: restituir aos cofres públicos o que foi desviado, liquidando o patrimônio ilícito através de desapropriações, bloqueios de contas e tudo mais que for possível. Quem sabe como essa verba pudéssemos pagar a cada PM uma bota tática melhor do que a padronizada hoje, ou finalmente liberando uma farda com tecido especial, bem superior ao atual, elevando assim o moral da tropa, devolvendo ao cidadão seus impostos em forma de um serviço mais profissional.
As constatações não param por aí, mas há limites quanto ao avanço alcançado até agora. Amanhã devem haver novos capítulos, soltura dos presos, e mais manchetes sobre o assunto.

18 comentários:

Na Moita disse...

O ocorrido envolvendo fraudes estarrece a população que paga seus impostos direta e indiretamente, e deixa os militares, em especial ( os praças ), na espectativa do que irá acontecer com os envolvidos.
Sendo aberto, sincero e no popular, digo: Se o fato tivesse ocorrido com algm praça certamente este estaria no BPCHOQUE e a punição seria certa e penosa, mas pelo que se vê NÃO vai terminar em pizza e SIM em moqueca baiana.

Na Moita disse...

Victor, me desculpe por as vezes em meus comentários citar que ( se fossem com praças seria pior, etc ), pois você hoje é aluno a oficial e mais tarde quando se tornar um dêles, vai entender o que todos nós pensamos do tratamento dado aos praças de forma geral, talvez nao seja o seu caso, apesar de que conheço oficiais que não concordam com este tratamento , mas por força da tradição mantém os meus colegas como se fossem submissos, quando na verdade somos subalternos.
Caso não tenha entendido o que falei aqui, nao se preocupe, um dia quando você for um oficial e se tiver bom senso e uma maturidade social em relação aos praças, vai perceber, e espero em Deus que você me dê razão.

Victor disse...

Compreendo perfeitamente. Não vivo "aluado" na Academia, como alguns são, por opção. Tento me inteirar do que ocorre na tropa, sempre que possível me colocando no lugar dos outros. Só confessando uma curiosidade, meu apelido junto a alguns colegas é justamente "praça", apesar de não ter vivido essa situação antes.
Oficiais presos não são conduzidos ao BPChq por força de regulamento, é assim em todo meio militar do país. Quanto a esse assunto, não é cometendo uma ilegalidade vingativa que iremos resolver, só alterando as leis e retirando essa prerrogativa para modificar o procedimento.

Anônimo disse...

Pelo visto VITOR, vc com seu comentários mostra uma independencia pouca ou raraz vezes vista. Como disse o colega, DEUS lhe conserve com esses pensamentos e esta independencia. Mas vejo com maus olhos um dos parágrafos que diz sobre o mal estar causado em ter um dos PRESOS*** que chamar a autoridade competente de SR. Pelo que me disseram nos tempos de alunos este tratamento em nada mostra-se humilhante, é um sinal de respeito, e assim ensinamos aos nossos filhos.
Seria sinal de humilhação um OFICIAL chamar alguem de SR?
Então passo a crer que o GRANDE OFICIAL deixaria de chamar o seu GENITOR de SR MEU PAI, pois assim estaris se humilhando à aqueles que durante muito tempo lhe chamou de MEU AMADO FILHO.
E termimo com uma simples pergunta:
COMO RESARIA UM OFICIAL O PAI NOSSO?

Victor disse...

Segundo o jornal A Tarde, quem ficou indignado com o fato do preso ter que chamar do delegado de senhor foi o alto comando da corporação. Não manifestei opinião ou juízo de valor sobre essa situação, mas já adianto que meu pensamento é semelhante ao apresentado no seu comentário.

Na Moita disse...

Muito bom Victor, em nome de todos os praças da corporação, seja sempre assim, vamos pedir a Deus que um dia você galgue quem sabe o comando geral, precisamos de aperfeiçoamento.
Estimule-se para que tenha um grande ideal, mire-se bem alto quanto ao sol e lance a flecha do idealismo, ainda que não atinja a altura desejada, a flecha voará alto. Ajude-se a idealizar metas cada vez mais elevadas.

Anônimo disse...

Meu caro na moita, pare de fazer luta de classes aqui. Quem roubou deve ser preso, mas se vc lesse o Codigo de Processo Penal ou Código de Processo Penal Militar, saberia que oficiais das FFAA e das Forças Auxiliares não podem ficar em xadrez quando em prisão preventiva/ flagrante, salvo quando o juiz expressa e fundamentadamente determinar.
Recentemente, um soldado violentou uma criança em Amargosa e outro estuprou uma turista mineira no extremo-sul, e nem por isso, vieram oficiais neste espaço desejar que eles fossem currados na cadeia. Nosso inimigo é outro, e não usa farda, apenas distintivo.
Saudações

Anônimo disse...

independente dos comentarios acima, sem desviar do assunto atual, gostaria que nosso governador iniciasse uma faxina geral nas contas, inicialmente, de todos os batalhões e cias independentes do interior. há muito fuxico de desvios de verba, gasolina e ticket refeição entre outras coisas. pessoalmente, se isso ficar apenas nesse episodio dos coronés, passo a acreditar que trata-se apenas de PERSEGUIÇÃO POLÍTICA. E para nao deixar nenhuma dúvida, NAO CONHEÇO PESSOALMENTE NENHUM DESSES CORONÉIS ENVOLVIDOS, NEM TAMPOUCO DEVO-LHES ALGUM FAVOR. Espero apenas imparcialidade nas investigações. aqueles que tiverem envolvimento que paguem perante a justiça dos homens.
a JUSTIÇA DIVINA vai julgá-los posteriormente e esta, certamente, não comenterá injustiça.

Na Moita disse...

Caro anônimo, você recomenda que eu não faça guerra de categorias, mas ao mesmo tempo você defende a classe dos oficiais, quando coloco aqui as visíveis diferenças entre militares, retalio apenas a maneira de como a maioria dos oficiais tratam e conduzem a tropa, não observando-nos como colegas de farda e sim de submissos.
Se você é um praça, parece ser daqueles que trabalha em regime administrativo e nao conhecem nada de área e nem tao pouco de militarismo, ou você é mais um dos oficiais que se preocupam em deixar transparente que existem duas polícias, a dos oficiais e a dos maltratados praças.
Você tentou em seu comentário mostrar-me que estou enganado, agora tente mudar o conceito de todos os praças da PMBA.
Um abraço.

Na Moita disse...

Complementando ..., Caro anônimo, seu comentário nao merece crédito e você perdeu uma grande oportunidade de mostrar que é inteligente, limite-se ao seu mundo estrelado e caso você seja oficial, ou pretende ser, mude e seja mais humano com os praças, nao queremos nada de vocês.
O subalterno deve ao seu superior hierarquia e disciplina e só queremos em contrapartida RESPEITO soa praças.

Anônimo disse...

Estou cansado dessa sindrome de coitadinho. No episodio envolvendo uma tenente que furtou o contracheque da colega e foi autuada em flagrante o que não faltou foi o clichê "se fosse um praça". Quem faz suas merdas que pague, agora luta de classes em cima disso é que é f..da.
Refute minhas ideias, ao invés de me atacar. Leia o CPP e o CPPM que vcs verão que oficiais não podem ficar em xadrez. Quero que coronel que rouba apodreça na cadeia...quanto a praça que estupra, merece o que? e o que deu um tiro na cabeça da menina de 04 anos no Pau Miudo?

Na Moita disse...

Idéias vãs, pensamentos medíocres ...
Inergúmero.

Na Moita disse...

Para o irritado anônimo:
Es sucht zu humanizar selbst und das Militär des freien Minderjährigen zu betrachten als Untergebenes und nicht als submissos.

Anônimo disse...

Para na moita

Aprenda a xingar. O certo é energumeno, entendeu, seu energumeno?

Na Moita disse...

Para Anônimo irritado:
você precisa atualizar-se, não percebeu que houve mudanças na ortografia ? rs
Um abraço.

Anônimo disse...

COITADO DO POBRE ANÔNIMO. SEU INIMIGO DEVE SER AQUELES QUE USAM DISTINTIVO. MEUS E DE MEUS COLEGAS SUPER-PRAÇAS QUE RESOLVEM TUDO NAUM É.
E É ISSO MESMO, SE FOSSE PRAÇA TA NA MASMORRA, TAVA NA MISÉRIA, TAVA NO TRONCO. MAS COMO ERA ESTRELA; QUE GANHEM O CÉU. RSRSRSRSRS
E VITOR NAUM QUIS CRITICAR O SEU POSICIONAMENTO, QUANDO FALEI DO PARAGRAFO EM QUESTÃO EM NADA QUIS ATINJI-LO COM SE FOSSE SEU.
CONTINUE COM SUA IDEIAS, ELAS NOIS ESTIMULAM, E UM DIA VC VAI SER O CARA NO MEIO DE MUITOS ASTRONOMOS.
PARABÉNS PELO BLOG. PRA VC ESTAMOS SEMPRE A BETA 07!!!
MINHAS ADMIRADAS CONTINÊNCIAS!!!
ASS: SDPM JUNIOR.

Na Moita disse...

Pois é anônimo do texto acima, o irritado anônimo com certeza não faz parte da nossa família, se for oficial não conhece a nossa dura realidade, porque vive aluado no céu de estrelas, e se for paisano, deve estar fazendo pré-vestibular para entrar no mundo dos delinquentes, e se isso acontecer ...vamos te pegar.
Para o anônimo acima, um abraço.

Na Moita disse...

E como diz o anônimo acima: vamos estar a beta 7 pra você!

 
BlogBlogs.Com.Br

'Digite seu e-mail:'

Fornecido por FeedBurner