domingo, 1 de março de 2009

Federais

Encontrei em comunidades de policiais civis no Orkut uma reportagem publicada hoje pelo Correio Brasiliense dando conta de que "Apenas 24% dos funcionários da PF estão satisfeitos com o cargo". Isso mesmo, a famigerada Polícia Federal, sonho de consumo de muitos policiais estaduais, não parece ser as mil maravilhas para quem está dentro dela, segundo a pesquisa. Dados apresentados pela matéria dão conta de que "57,8% dos delegados, peritos, papiloscopistas, escrivães, agentes e pessoal administrativo pretendem deixar a carreira na primeira oportunidade", algo surpreendente para a maioria das pessoas que veem aquela corporação como uma grande meta em vida. Essa falta de apego ao ofício, que torna a profissão um mero trampolim, um momento de trânsito para tanta gente, dificulta a realização de um trabalho mais eficiente no cotidiano da organização. Já se sabia que essa é uma realidade constante nas polícias civis e militares, porém o alcance de tal patamar alarmante em nível federal parece ser uma novidade um tanto desagradável. Boa oportunidade para alguns indecisos reverem conceitos sobre benefício e custo de determinadas carreiras, tentando conciliar interesses salariais com vocação, afinal o diagnóstico é claro de que, mesmo com condições diferenciadas e satisfatórias de trabalho e remuneração, o ambiente na PF não parece ser dos mais ideais.

2 comentários:

Água disse...

Acho que isso acontece por diversos motivos. Nos ultmos anos a PF foi muito mostrada pela midia, ja que comecou a fazer mais e maiores operacões. Isso, associados aos altos salarios, atraiu muito gente que nunca foi policial, que ao chegar lá se decepcionou. Vejamos alguns pontos:
- Subutilizacao do profissional: os concursos, cada vez mais concorridos, selecionam pessoas de alto gabarito, que ficam anos estudando pra passar. Essas pessoas esperam encontrar um trabalho que use todo o seu potencial, de alta responsabilidade. Chegando lá, ficam desmotivados com o trabalho.
- Impunidade: se o público já fica indignado com os habeas corpus que pululam no judiciario, imagina a equipe que trabalhou na investigacao e prisao? É um balde de agua fria
- Interiorização forçada: como acontece em outros orgãos, como o Ibama. Cada vez há mais vagas no interior do país, enquanto a maioria dos profissionais vem do sudeste. Sair do Rio pra trabalhar no interior do Pará é um choque pra muita gente.
- Falta de especialização do trabalho: Essa é so pros peritos. Como são poucos, eles acabam fazendo um pouco de tudo. Não importa se o seu cargo é de biologia, voce vai analisar local incendiado, drogas e até manipular corpos. Pra quem imaginava um trabalho mais cientifico, é um desapontamento

Victor disse...

Muito grato pelos oportunos complementos que permitem aproximar da plenitude de compreensão da problemática. Realmente, obrigado.

 
BlogBlogs.Com.Br

'Digite seu e-mail:'

Fornecido por FeedBurner