segunda-feira, 2 de março de 2009

Tapetada

Veja a que ponto chega a demência de adolescentes e adultos país afora, que sem quaisquer resquícios de racionalidade ou juízo em suas mentes, saem às ruas cometendo barbaridades tais quais trogloditas fossem. Têm havido diversos registros de uma modalidade de vandalismo conhecida como "tapetada", que consiste em enrolar o tapete interno de borracha do carro de modo a formar uma espécie de bastão e atingir covardemente pedestres e ciclistas pelas costas, sem a menor preocupação sobre a lesão que será causada e as consequências que poderão advir da provável queda da vítima. O ato repugnante é filmado por muitos dos cruéis autores e exposto no YouTube e Orkut como motivo de orgulho e troféu, talvez aplaudidos pelos demais asseclas de suas quadrilhas, ou até em casa, pelos pais e parentes que fingem não ver o monstro que convive com eles. Crianças, senhoras, trabalhadores, todos podem ser vítimas desses marginais da pior estirpe, cabe a toda população a responsabilidade de vigiar as condutas e denunciar os casos, anotando placas, horários, locais e todas as características possíveis para auxiliar o dever da polícia em reprimir. Agora tente se colocar no lugar de uma guarnição que flagra 4 "playboys" surrando covardemente um idoso inocente nessas condições, intercepta eles e captura a quadrilha... Consegue imaginar o quanto é difícil aceitar a rendição covarde dos marginais e conduzi-los pacificamente até a delegacia, onde talvez se percam longas horas de espera por atendimento e no final os autores saiam sorrindo pela porta da frente?

10 comentários:

Luiz disse...

Igualmente repugnantes foram as imagens divulgadas ontem no Fantástico na qual PM's da Bahia agrediam um torcedor que já estava deitado no chão e não mais oferecia perigo aos policiais ou à coletividade. "Liderar dando exemplo". Com um exemplo desses, não são tão incompreensível assim essas aberrações de brigas e agressões que os jovens têm protagonizado recentemente.

Luiz disse...

retificando: onde se lê incompreensível, por gentileza leia-se incompreensíveis

Anônimo disse...

LUiz, por que vc e a mídia drogada da Bahia não falam dos torcedores baderneiros que vão para estadio brigar? vc é mais um engenheiro das obras prontas, que fica comentando o trabalho alheio. Botar farda e ir para rua é coisa para homem mesmo, e quem sabe na proxima encarnação, vc chega lá.

Luiz disse...

O fato de haver torcedores irracionais e baderneiros não justifica abuso de poder por parte da polícia. Uma coisa foi o fato do policial haver sacado sua pistola no meio da briga, o que pareceu justificavél e plausível, já que estava sozinho e os briguentos não recuavam. Agora, outra coisa são 2 ou 3 policiais baterem em um homem que já está caído. Se a sua definição de homem condiz com essa brutalidade medieval, espero eu nunca ser homem, nem nessa e nem na próxima encarnação. Aliás, me pergunto que tipo de homem é esse que bate em uma pessoa caída...muito macho mesmo...
Reconhecer os erros e as falhas é o primeiro passo para crescer e evoluir.

Victor disse...

Não são "igualmente repugnantes", podem até ter chocado pela agressividade, mas a natureza da motivação é outra. Comparar, por exemplo, quem lincha um perigoso pedófilo, a quem espanca um bebê indefeso, é notoriamente imprórpio, a natureza da motivação que levou à agressão é absolutamente diferente. Aplicar força em quem está rendido é algo inicialmente repreensível, falta avaliar a conduta pregressa e as circunstâncias em que se deu a ação.

Na Moita disse...

Com exceção do comentário do colaborador Anônimo, abobino os demais. Caro Luiz, não recordo neste mesmo canal de interatividade de ter lido qualquer comentário de sua autoria que reprovasse a conduta dos marginais que covardemente alvejaram o colega Almeida num assalto a ônibus no Largo do Tanque, acredito que você faça parte de uma parte da sociedade que `` POLÍCIA QUANDO ESTÁ PERTO INCOMODA, QUANDO ESTÁ LONGE FAZ FALTA, e certamente vc deve ser frustrado por não participar da milícia de bravos, por incompetencia ou por ser um defensor inescrupuloso de torcedores que ao invés de assistir ao espetáculo nesportivo, vão com a intenção de causar badernas, disturbios coletivos e causar desrespeito aos demais torcedores que abominam condutas acima citadas, lamento dizer mas seus dois comentários foram infelizes e nao merecem nenhum tipo de crédito.

Anônimo disse...

Para Luiz,

O oficial foi sozinho contra inumeros baderneiros e deu conta deles. Isso exige testosterona, algo que vc deve ter pouca. O torcedor caido apanhou por ter arremessado latas e garrafas nos policiais.
Vc conhece a torcida Touros do Sertão? faça um teste, va em Feira de Santana em dia de jogo do Fluminense e entre com a camisa do time adversario no meio deles, duvido que vc saia vivo.
Vc e outros querem uma policia inglesa, de primeiro mundo, para lidar com uma população de quinto mundo. Tenho nivel superior, cursos policiais, pos graduação e meto a porrada em baderneiro mesmo, isso não me faz "despreparado", como vc gostam de dizer.
Ha cerca de um mes, o mesmo policial trocou tiros sozinho contra 05 em São S. do Passé e matou os 05...vc faria melhor? é homem o suficiente para isso?

Victor disse...

Apesar da carga de agressividade no texto, não há como deixar de concordar com o último anônimo logo acima.

Anônimo disse...

A Bamor (grupo de desordeiros do Bahia) não teme as Imbativeis(grupo de desordeiros do Vitoria), mas teme os Touros do Sertão, tanto é que só viajam para Feira em dia de jogo se forem escoltados pela PM na viagem e totalmente cercados por policiais dentro do estádio. Eis o nível dos coitadinhos de Feira (nada contra a cidade) quem apanharam dos PMs mauzinhos.

Na Moita disse...

Caro Luiz, faço minhas as palavras do texto logo acima do texto de Victor, tambem concordo com a concordância de Victor.
em resumo, tem algum tipo de frustração.

 
BlogBlogs.Com.Br

'Digite seu e-mail:'

Fornecido por FeedBurner